domingo, 21 julho 2024

Obra de Milena Mascarenhas estabelece os fundamentos da Para-Historiografologia

A obra Fundamentos da Para-Historiografologia, escrito por Milena Mascarenhas,  traz uma exposição didática e sistematizada,  e um crescendo entre o estudo das consciências ao longo do tempo no campo da ciência convencional, até a proposição da História Multidimensional, bem como as formas de utilizá-la na autopesquisa.

A Para-Historiografologia, é a ciência pautada no paradigma consciencial aplicada ao estudo dos registros multidimensionais, levando em conta aspectos intrafísicos, extrafísicos e multiexistenciais das consciências. A obra procura, através de abordagem integral da realidade, compreender os fenômenos conscienciais ocorridos ao longo do tempo, além de organizar as bases da especialidade, que inicialmente era denominada Para-História.

Foi apresentada ao público em  10 de dezembro de 2022  durante o  Círculo Mentalsomático, com sessão de autógrafo seguida de talk show no Pátio Pomare.  Teve ainda uma live pela Editora Editares no dia 14 de Janeiro de 2023.

Sobre a autora de Milena Mascarenhas:

Milena Mascarenhas (Foto: acervo Editares)

Nascida em 24 de junho de 1982 em Porto Alegre (RS) – Brasil, Milena Costa Mascarenhas é Historiadora e doutora em Sociedade, Cultura e Fronteiras. Autora do livro História da Ponte Internacional da Amizade: representações de um espaço binacional (2021). Organizadora e coautora dos livros Memória dos Lugares (2022) e Projeto de Vida para Jovens (2015). Coautora dos livros Homo lexicographus: A Saga Intelectual de Émile Littré na Escrita do Dicionário da Língua Francesa (2017) e Diretrizes da Autogestão Existencial (2019).

É também autora de artigos e Verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia. Voluntária da Conscienciologia desde 2003, docente desde 2005 e tenepessista desde 2011. Atualmente é voluntária na Holoteca do CEAEC e na CONSECUTIVUS, e pesquisadora da especialidade Para-Historiografologia desde 2006.

Confira entrevista falando dos bastidores da obra  ao Jornal da Cognópolis:

Jornal: Qual foi a motivação para a escrita da obra? Por que a escolha deste tema para publicação de um livro?

Milena: Este livro é o resultado do trabalho que venho desenvolvendo desde 2006, quando decidi me dedicar ao estudo da Para-História. Foram mais de 50 atividades realizadas, cujo foco era o desenvolvimento da especialidade. Para um pesquisador, sobretudo um intermissivista, é natural que o próximo passo seja apresentar os resultados de seus esforços em uma obra onde possa compartilhar suas ideias, reflexões e aprendizados sobre o tema.

Jornal: Quais foram as principais percepções, intra e extrafísicas, durante a pesquisa e a escrita da obra e após o lançamento?

Milena: As principais percepções foram, primeiro, relativas à presença extrafísica de consciexes interessadas na pesquisa e escrita. Minha hipótese está relacionada à equipex de para-historiadores, pois percebi durante esse processo muito amparo e inspirações provenientes destes grupos intelectuais.

Em segundo lugar, foi relacionado à frequente descoincidência holossomática durante o processo da escrita, sendo esse fenômeno um catalisador para captação de ideias e troca de informações com as consciências extrafísicas interessadas no assunto em questão.

Posteriormente ao lançamento, a minha percepção foi de gratidão da equipe extrafísica que estava interessada na obra, especialmente no quesito de acesso às consciências relacionadas à Historiografia, agora, predispostas a compreensão da multidimensionalidade.

Jornal: Qual foi o maior aprendizado com a escrita desta obra?

Milena: Um dos maiores aprendizados está no reconhecimento de trafores associados aos desafios da escrita conscienciológica, especialmente na abordagem de temas tão complexos, a exemplo da Para-Historiografologia. O meu livro é a maneira de retribuir tudo o que aprendi com a Conscienciologia e o trabalho voluntário que venho realizando na CCCI há duas décadas.

Jornal: O que poderia dizer como incentivo para que mais pesquisadores invistam na publicação de obras conscienciológicas?

Milena: É fundamental que todos comecem a escrever o quanto antes e confiem na bagagem que já possuem. Há uma série de recursos disponíveis para aprimorar a escrita, desde as estruturas físicas disponíveis na Cognópolis, como a Holoteca e o Holociclo, até as ICs amparadoras das obras conscienciológicas: a Uniescon e a Editares. O processo de escrita em si e a interação com todas essas instâncias proporcionam um aprendizado inestimável e uma maior compreensão de si mesmo. É uma oportunidade única que temos nesta vida e que deve ser aproveitada ao máximo. Então, não percam tempo e comecem agora mesmo!

Informações para adquirir a obra acesse:

Organizadora: Sónia Luginger
Entrevistada: Milena Mascarenhas
Foto e vídeo: acervo Editares e Milena Mascarenhas
Expediente: Edição 257 - Maio e Junho de 2024
Coordenação: Leonardo Ribeiro
Jornalista responsável: Amaury Pontieri – MTB nº 23.154-SP
Editor: Leonardo Ribeiro
Redatores de conteúdo: Cristina Bornia, Sónia Luginger e Leonardo Ribeiro
Revisor de conteúdo: Luiz Antonio de Oliveira
Revisor ortográfico: Maria Koltum
Revisor do Inglês: Sergio Fernandes
Edição de vídeo: Eduardo Catalano
Web designer: Leonardo Ribeiro
Marketing Digital: Leonardo Ribeiro
Conformidade com a política editorial (Conselho Editorial): Amaury Pontieri, Denise Paro e Pedro Mena Gomes
Endereço: Av. Felipe Wandscheer, 6200 - Cognópolis Foz do Iguaçu - PR - Brasil
contato@jornaldacognopolis.org
Últimas
spot_img

Relacionadas

Foz do Iguaçu
céu limpo
16.5 ° C
17.6 °
15.5 °
94 %
3.1kmh
0 %
dom
25 °
seg
27 °
ter
27 °
qua
29 °
qui
27 °